Exclusivo

Bate papo com Lú ( Banca do milho ) em Vicente Pires DF

Se você está em busca de um lugar único...

Bolsonaro explora corrupção do governo petista, e Lula ataca gestão do presidente na pandemia.

No primeiro debate do 2º turno, candidatos chamam um ao outro de mentirosos; Bolsonaro assume o compromisso de não mudar a composição do STF e ex-presidente não responde quem será seu ministro da Economia.

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se enfrentaram neste domingo, no debate promovido pelo pool de veículos formado pelo Grupo Bandeirantes, a Folha de S.Paulo, o UOL e a TV Cultura. Na primeira vez em que ficaram frente a frente em um embate direto, sem a presença de coadjuvantes, os adversários protagonizaram uma série de trocas de farpas, discussões e acusações mútuas de corrupção. O atual chefe do Executivo, por exemplo, iniciou sua primeira fala acusando parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) de terem votado contra a ampliação do Auxílio Brasil para R$ 400 mensais – o que foi desmentido pelo petista. “Só de auxílio emergencial gastamos o equivalente a 15 anos de Bolsa Família. Eu tinha vergonha de ver as pessoas mais humildes, especialmente no interior do Nordeste, começando a receber R$ 42. Se podia dar algo melhor, por que não deu lá atrás”, questionou o presidente, em claro aceno ao eleitorado nordestino, que majoritariamente votou em Lula no primeiro turno. Em outros pontos, o presidente também falou sobre a visita do petista ao Complexo do Alemão, afirmando que “não tinha um policial acompanhando, apenas traficantes”, e questionou Lula sobre Petrolão, falando em “maior escândalo da história da humidade”. “Lula, você tem muito a falar sobre corrupção. A responsabilidade pela corrupção no Brasil foi sua”, disse Bolsonaro.

 

Por sua vez, o ex-presidente Lula iniciou suas falas questionando se o presidente da República não sente o “peso das 400  mil mortes” pela Covid-19 que, segundo ele, poderiam ser evitadas, caso a compra das vacinas tivesse  sido mais rápida. “Atrasou a vacina, teve processo de corrupção denunciado pela CPI. A sua negligência fez que 380 mil pessoas morressem. O senhor não cuidou [da população]. Debochou, riu, disse que quem tomasse vacina virava jacaré, gozou das pessoas morrendo sem oxigênio”, disse o candidato do PT, que voltou a criticar ações de Bolsonaro na pandemia: “Você poderia ter comprado vacinas antes. Tratava a pandemia como uma gripezinha, colocou sigilo no seu cartão de vacina”, concluiu. Outro momento, Luiz Inácio chamou Jair Bolsonaro de “rei das fake news” e questionou o presidente a respeito de quantas universidades e escolas técnicas a atual gestão construiu, pergunta não respondida pelo presidente. ” Bolsonaro não quer dizer que vergonhosamente ele só fez uma universidade no Tocantins, que a Dilma já tinha aprovado.” Lula também se colocou como responsável pela maior política de infraestrutura, criticou o atual governo pelo desmatamento na Amazônia e falou sobre escândalos de corrupção do atual governo. “Povo não quer alguém que compre 51 imóveis com dinheiro vivo, que gaste R$36 milhões no cartão [corporativo]. O povo não quer rachadinhas, o [Fabrício] Queiroz ainda está escondido. Votar a cena do crime? Lula vai voltar a cuidar do povo brasileiro, porque o povo precisa e você sabe que eu sei cuidar do povo”, finalizou.

Entre os momentos de confronto direto, Lula também rebateu Bolsonaro sobre a paternidade da transposição do Rio São Francisco, afirmando que, na realidade, seu governo foi responsável por 88% das obras  e a atual gestão, apenas por 3,5%. ” Você acha que alguém acredita que foi você que levou água? Não tem um projeto seu. Quando era deputado nunca fez um discurso contra o governo Lula. Ele não fez porque no fundo sabe que fui o presidente que mais cuidei do país”, disse o petista. Outro momento acalorado foi quando o atual chefe do Executivo questionou o motivo do petista não ter transferido Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder do PCC, para um presídio federal, quando era presidente. “Teve que eu chegar junto com Sergio Moro para tirar Marcola e mandasse para um presídio federal. Por que não transferiu? Era simpatia, amizade?”, questionou Jair Bolsonaro, citando a morte de 59 policiais no período. Em resposta, Luiz Inácio disse que o adversário sabe que o governo do PT criou cinco prisões de segurança máxima. “Quantos você fez? Nenhum”. Líder das pesquisas de intenções de votos no segundo turno, o candidato do PT foi ainda questionado quem será o seu ministro da Economia, se eleito, mas não respondeu.

Ao longo do debate, ambos candidatos também responderam perguntas de jornalistas a cerca de temas diversos. A primeira pergunta foi a respeito da criação de novas vagas ao Supremo Tribunal Federal e se os adversários se comprometeram a não aumentar o número de ministros, o que ambos confirmaram. Bolsonaro também falou sobre a política de preços dos combustíveis, defendendo a redução do ICMS, citando deflação pelo terceiro mês consecutivo e falou em “Brasil no caminho certo com Paulo Guedes”, ministro da Economia. Sobre a possível privatização da Petrobras e valores dos combustíveis, Lula respondeu que o preço não deve ser dolarizado e se posicionou contra a venda da estatal. “Privatização não é solução para nada”, disse o petista. Em outra questão da imprensa, a respeito de fake news de ambas campanhas, o candidato do PT defendeu que as propagandas eleitorais sejam reguladas e falou em combater a divulgação de notícias falsas. Já Bolsonaro usou sua resposta para comentar sobre as acusações de pedofilia que repercutiram nas redes sociais durante o final de semana, após o presidente falar em um podcast que “pintou um clima com meninas de 14, 15 anos”. “Você não tem o que falar do seu passado, que não tem nada que presta. Só quer denegrir os outros”, disse o presidente.

Antes mesmo do debate começar, Bolsonaro já havia comentado sobre o suposto caso de pedofilia. Em conversa com a imprensa, o presidente falou em “acusação infame e sórdida” e culpou Gleisi Hoffmann, presidente do Partido dos Trabalhadores, por ter “potencializado” o assunto – que ele nega ser verídico. “Tentaram me atingir naquilo que é mais sagrado a mim: a defesa da família e das crianças”, afirmou o presidente. Segundo Bolsonaro, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, assinou despacho pela retirada de todos conteúdos que façam menção à acusação, afirmando que a fala foi “sabidamente inverídico, com grave descontextualização e aparente finalidade de vincular a figura do candidato ao cometimento de crime sexual”.

Ao longo do debate, ambos candidatos também responderam perguntas de jornalistas a cerca de temas diversos. A primeira pergunta foi a respeito da criação de novas vagas ao Supremo Tribunal Federal e se os adversários se comprometeram a não aumentar o número de ministros, o que ambos confirmaram. Bolsonaro também falou sobre a política de preços dos combustíveis, defendendo a redução do ICMS, citando deflação pelo terceiro mês consecutivo e falou em “Brasil no caminho certo com Paulo Guedes”, ministro da Economia. Sobre a possível privatização da Petrobras e valores dos combustíveis, Lula respondeu que o preço não deve ser dolarizado e se posicionou contra a venda da estatal. “Privatização não é solução para nada”, disse o petista. Em outra questão da imprensa, a respeito de fake news de ambas campanhas, o candidato do PT defendeu que as propagandas eleitorais sejam reguladas e falou em combater a divulgação de notícias falsas. Já Bolsonaro usou sua resposta para comentar sobre as acusações de pedofilia que repercutiram nas redes sociais durante o final de semana, após o presidente falar em um podcast que “pintou um clima com meninas de 14, 15 anos”. “Você não tem o que falar do seu passado, que não tem nada que presta. Só quer denegrir os outros”, disse o presidente.

Antes mesmo do debate começar, Bolsonaro já havia comentado sobre o suposto caso de pedofilia. Em conversa com a imprensa, o presidente falou em “acusação infame e sórdida” e culpou Gleisi Hoffmann, presidente do Partido dos Trabalhadores, por ter “potencializado” o assunto – que ele nega ser verídico. “Tentaram me atingir naquilo que é mais sagrado a mim: a defesa da família e das crianças”, afirmou o presidente. Segundo Bolsonaro, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, assinou despacho pela retirada de todos conteúdos que façam menção à acusação, afirmando que a fala foi “sabidamente inverídico, com grave descontextualização e aparente finalidade de vincular a figura do candidato ao cometimento de crime sexual”.

Últimas Notícias

Milei troca chefe de gabinete em grande abalo no governo da Argentina

No primeiro abalo do governo argentino, o presidente Javier...

Ucrânia faz dois ataques contra Moscou em meio ao avanço das tropas russas

A Ucrânia fez dois ataques contra a Rússia nesta...

Coreia do Norte relata explosão durante lançamento de satélite

A Coreia do Norte disse que o lançamento de...

Justiça ordena que governo Milei distribua 5 mil toneladas de alimentos estocado

O juiz federal argentino Sebastián Casanello ordenou nesta segunda...

Newsletter

spot_img

Não perca

Milei troca chefe de gabinete em grande abalo no governo da Argentina

No primeiro abalo do governo argentino, o presidente Javier...

Ucrânia faz dois ataques contra Moscou em meio ao avanço das tropas russas

A Ucrânia fez dois ataques contra a Rússia nesta...

Coreia do Norte relata explosão durante lançamento de satélite

A Coreia do Norte disse que o lançamento de...

Justiça ordena que governo Milei distribua 5 mil toneladas de alimentos estocado

O juiz federal argentino Sebastián Casanello ordenou nesta segunda...

Veja imagens de destruição em campo de refugiados em Rafah após ataque de Israel

Um ataque israelense na cidade de Rafah, no sul...
spot_imgspot_img

Milei troca chefe de gabinete em grande abalo no governo da Argentina

No primeiro abalo do governo argentino, o presidente Javier Milei aceitou a renúncia do chefe de gabinete Nicolas Posse na noite desta segunda-feira (27),...

Ucrânia faz dois ataques contra Moscou em meio ao avanço das tropas russas

A Ucrânia fez dois ataques contra a Rússia nesta segunda-feira (27). Unidades de defesa aérea russas derrubaram um drone nos arredores de Moscou, informou...

Coreia do Norte relata explosão durante lançamento de satélite

A Coreia do Norte disse que o lançamento de um novo satélite militar de reconhecimento falhou nesta segunda-feira (27), depois que um motor de...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui